Francisco Pulido Valente

Pequeno excerto baseado no artigo da Enciclopédia Luso-Brasileira

Francisco Pulido Valente foi na sua época um notável médico e professor da Faculdade de Medicina de Lisboa. Defendeu tese em 1909 e dois anos depois, após concurso de provas públicas, foi nomeado médico efectivo dos Hospitais Civis. Foi assistente de Psiquiatria e especializou-se no estudo de doenças nervosas e Clínica Geral. Foi mobilizado para França (1917) onde dirigiu os serviços de doenças infecto-contagiosas, inicialmente no Hospital de Cherville e depois no Hospital Militar de Hendaia e no da Base n.º2. Regressando a Portugal, reassumia as funções anteriormente prestadas, ascendendo a professor catedrático e regendo a cadeira fundamental de Clínica Médica.

Homem de grande cultura científica, competência excepcional, visto como um renovador na Faculdade de Medicina. Representou Portugal em diversos congressos científicos e foi premiado por diversos trabalhos neles apresentados. Sempre viveu afastado da vida política militante, assumido republicano, destacou-se pela sua intransigência na famosa greve académica do tempo de João Franco. Em Junho de 1947, determinado em Conselho de Ministros, foi-lhe retirada a cátedra por ser considerado desafecto à política de Estado Novo dedicando-se então à clínica particular.

Este grande clínico, um dos maiores do País, avesso a todas as formas de publicidade, é autor de vários e valiosos trabalhos de investigação. De entre eles assinale-se: Introdução ao Estudo da HisteriaA Etiologia e a Patologia da Paralisia Geral; Um caso de Actinomicose; Estudo Clínico e Experimental; Sobre Vinte e um Casos de Encefalite Letárgica.

Biografia do Professor Francisco Pulido Valente

1884

Nasce a 25 de Dezembro na Praça dos Restauradores n°33, Lisboa, filho de Maria Bela Pulido Valente e de Francisco Manuel Valente

Read more

1894 / 1901

Frequenta o Liceu da Regaleira, em Lisboa (hoje sede da Ordem dos Advogados).

Read more

1902 / 1909

Frequenta o Curso de Medicina na Faculdade de Medicina de Lisboa, defendendo tese sobre a histeria na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa e faz ato grande em que é aprovado com…

Read more

1910

Responsável pela divulgação, no jornal «República Portugueza», da tese que defende uma ditadura revolucionária contra o Governo Provisório.

Read more

1911

Primeiro concurso de provas públicas. É nomeado médico da Junta Consultiva dos Hospitais Civis de Lisboa.

Read more

1912

Nomeado primeiro assistente de Psiquiatria a trabalhar sob a direção de Júlio de Matos. A sua passagem pelo Hospital de Rilhafoles marcou fortemente a sua cultura, cujos fundamentos e interesse…

Read more

1913

A 31 de maio casa com Maria da Conceição filha de António Lúcio Santos e de Guilhermina Pinheiro dos Santos.

Read more

1914

Promovido a assistente da secção de Medicina da Junta Consultiva dos Hospitais Civis de Lisboa, lugar de que só saiu quando, mais tarde, ingressou em comissão de serviço na Faculdade.

Read more

1914-1917

Nascimento da primeira filha (15 de março) Maria Lúcia, vivendo à data o casal na Rua Tomás Ribeiro, em Lisboa Frequenta os Laboratórios do Instituto Câmara Pestana, dirigidos pela figura…

Read more

1917-1919

Em julho de 17, parte para a 1.ª Guerra Mundial sendo colocado em França. No regresso retoma a carreira académica. A 23 de novembro nasce, em Lisboa, Francisco Eduardo (link…

Read more

1919

Nomeado, sucessivamente, segundo Assistente da 1.ª Clínica Médica e primeiro assistente de Medicina Interna, depois de um concurso público que se tornou muito falado e onde obteve 20 valores.

Read more

1920

Assume a regência da 1.ª Clínica Médica e a direção dos respetivos serviços hospitalares. Assume a regência do curso de Patologia Médica. Nomeado Professor Livre. A 25 de janeiro nasce…

Read more

1921

Profere a sua lição sobre paralisia geral e é nomeado Professor Ordinário de Patologia e Terapêutica Médicas. A partir da sua entrada para Professor titular, Pulido Valente dedica-se, sobretudo, à…

Read more

1922-1925

A 23 de Março é encarregue da Regência do curso de Terapêutica Médica, que rege até 1925. A 24 de dezembro de 1922, nasce a sua terceira filha Maria Antónia….

Read more

1923

Transferência da cadeira de Patologia Médica para a de Clínica Médica.

Read more

1924

Regência da 2.ª Clínica Médica, em substituição do Professor Belo Morais. Publica na revista “Lisboa Médica” as suas lições sobre diabetes. Em Agosto (dia 21) nasce o seu filho Fernando…

Read more

1925

Em Março desloca-se, em comissão de serviço, a Copenhaga, em companhia de Cascão Anciães, para assistir a um congresso sobre o novo tratamento da tuberculose desenvolvido pelo belga Professor Mollgaad…

Read more

1930

Publica um artigo nos Arquivos do Instituto Bacteriológico Câmara Pestana por ocasião da morte do seu director, Aníbal Bettencourt, a quem o ligavam laços muito especiais pois aí realizou os…

Read more

1935

Acompanha com muito interesse o projeto do novo Hospital Escolar. Neste ano respondeu ao questionário da Comissão Técnica dos Hospitais Escolares, em nome da cadeira de Clínica Médica, sendo clara…

Read more

1936

Carta ao diretor da Faculdade de Medicina em defesa do prossectorado do Hospital Escolar e consegue a contratação do Professor Wohlwill, distinto patologista que deixava a Alemanha nazi. É o…

Read more

1938-1939

Profere seis lições sobre eletrocardiografia integradas em cursos de aperfeiçoamento, que são marcos no conhecimento da época: sobre a diabetes, sobre circulação do sangue e sobre a electrocardiografia. As lições…

Read more

1943

Publica, na revista «Amatus Lusitanus», o trabalho «Notas sobre a teoria da circulação normal e patológica I – Dinâmica arterial. A teoria de Windkessel», e mais tarde, o trabalho «Sobre…

Read more

1944

Morre, no dia 12 de Janeiro, com 26 anos, o seu filho, formado em Medicina, Francisco Eduardo.

Read more

1945

Publica na revista «Seara Nova» a tradução de diversos escritos da Escola de Viena a propósito da polémica entre Egídio Namorado e Santana Dionísio, em seguimento à publicação do livro…

Read more

1947

Demitido do lugar de professor por decisão do Conselho de Ministros de 14 de Junho, Diário do Governo nº 138, 1.ª série de 18 de Junho. Em agosto é colocado…

Read more

1948

Aposentação compulsiva (Diário do Governo, nº 70 de 25 de Março) Não mais publicou qualquer trabalho ou participou em qualquer manifestação científica. Continua a sua atividade clínica em consultório particular….

Read more

1949

Entrevista ao «Diário de Lisboa» (Janeiro) em que critica os serviços de assistência médica, especialmente o funcionamento dos hospitais.

Read more

1952

Em maio, desloca-se a Inglaterra para ser observado pelo especialista Terence Millin.

Read more

1954

Por ocasião do seu 70.º aniversário, é homenageado pelos seus amigos e discípulos, cerimónia acompanhada pela publicação de um livro que contou com a participação dos seus principais companheiros de…

Read more

1958

Faz parte da Comissão de Honra da candidatura do General Humberto Delgado à Presidência da República, a instâncias do seu amigo Manuel Mendes.

Read more

1963

Depois de um período de doença, surge uma complicação urinária que provoca a sua morte a 20 de Junho, com 79 anos incompletos.

Read more