Prémio Ciência Professor Francisco Pulido Valente

Prémio Pulido Valente Ciência visa distinguir o melhor trabalho publicado numa área das Ciências Biomédicas (sem restrição do ano de publicação) que descreva investigação executada por um investigador com menos de 35 anos num Laboratório nacional. O montante deste prémio é de 10 mil euros, a atribuir anualmente, sendo comparticipado em partes iguais pela Fundação Professor Francisco Pulido Valente e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Prémio 2018

O Prémio Pulido Valente Ciência 2018 visa distinguir o melhor artigo publicado na temática «Engenharia Biomédica», sem restrição de ano de publicação, que descreva os resultados da investigação realizada numa instituição de I&D nacional por um investigador com menos de 35 anos à data de apresentação da candidatura.

Na sequência do Protocolo celebrado entre a Fundação para a Ciência e a Tecnologia I.P. e a Fundação Professor Francisco Pulido Valente é aberto concurso para atribuição do Prémio Pulido Valente Ciência 2018.

Prémio Ensino Professor Francisco Pulido Valente 2017

O Prémio Pulido Valente Ciência 2017 distingiu o melhor artigo publicado na temática «Patologia Cardiovascular –Investigação Básica, Translacional e Clínica», sem restrição de ano de publicação, com os resultados de investigação realizada numa instituição de I&D nacional por um investigador com menos de 35 anos à data de apresentação da candidatura.

Ana Filipa Barata Duarte Guedes

Investigadora do Instituto de Medicina Molecular e primeira autora do artigo «Atomic Force Microscopy as a tool to evaluate the risk of cardiovascular disease in patients»

Publicado em 2016 na Nature Nanotechnology 11, 687-692 (2016).

O Júri foi composto pelo seguintes elementos: Professor Detlev Ganten (Charité – Universitatsmedizin, Berlin); Professora Carmo Fonseca (Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa); Professor Manuel Antunes (Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra); Professor Miguel Carneiro Moura (Professor Emérito, Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, em representação da Fundação Francisco Pulido Valente); Professor Fausto Pinto (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, em representação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia)