Jovem estudante de medicina ganha Prémio Pulido Valente Ensino 2022

O aluno vencedor do Prémio instituído anualmente pela Fundação Francisco Pulido Valente foi o Carlos André que obteve, no ano letivo 2020/2021, a classificação de 18 valores na unidade curricular Módulo V.II – Medicina Interna.

A cerimónia de entrega do prémio decorrerá no próximo dia 19 de maio, como habitualmente, na Aula Magna da Faculdade de Medicina de Lisboa (Hospital de Santa Maria) pelas 12h.

O conferencista convidado da sessão deste ano será o Professor Doutor Manuel Sobrinho Simões que falará sobre um assunto sobre o qual muito tem refletido: A inflamação, da Saúde à Doença.

Breve Nota Curricular

Carlos André Justino Fernandes

Nasceu a 23 de março de 1998 e é natural do Funchal, Região Autónoma da Madeira. Cresceu numa pequena vila chamada Ribeira Brava, com o percurso académico exercido nas escolas públicas da localidade em questão. A nível de desporto federado, praticou judo, tendo sido campeão regional na Madeira e vice-campeão nacional. Uma vez transitado para o 10º ano, ingressou na Escola Secundária Jaime Moniz, situada na capital madeirense, onde concluiu o ensino secundário. Desde o 5º ano até ao 12º ano, teve sempre a sorte de ver os seus esforços académicos reconhecidos pelas respetivas instituições de ensino com diplomas de excelência.

O ano 2016 marca a saída da “Pérola do Atlântico” e a sua mudança para Lisboa e subsequente início do Mestrado Integrado em Medicina (MIM) na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Os primeiros 2 anos provaram-se difíceis para um aluno madeirense que passara a ter que saber conciliar a “vida de adulto”, cujas responsabilidades apensas vinham sendo aliviadas pelos pais até então, com a nova vida universitária. Regendo-se pela máxima de procurar dar sempre o melhor de si, recebeu os diplomas de mérito concedidos pela Faculdade de Medicina de Lisboa no 3º, 4º e 5º anos do curso. 

Do ponto de vista pedagógico, teve a experiência de realizar estágios de iniciação pedagógica nas unidades curriculares de Anatomia, Neuroanatomia e Fisiopatologia, sendo monitor de Anatomia por 2 anos, de Neuroanatomia por 1 ano e de Fisiopatologia por 3 anos até então.

De momento, é estudante do 6º ano do MIM e encontra-se a concluir o Trabalho Final de Mestrado, projeto de investigação básica que discorre sobre as manifestações clínicas e o impacto das vasculites em indivíduos portugueses.

Partilhar