Patrono A Fundação Prémio Ensino Prémio Ciência Biblioteca e Espólio Agenda Contactos e Informações
Homepage, Destaques

Agenda

 

Convocatória
Conselho de Curadores
Ao abrigo do ponto 1 do artigo 8º do Capítulo III dos Estatutos da Fundação Professor Francisco Pulido Valente, e na qualidade de Presidente da Mesa do Conselho de Curadores, convoco uma reunião ordinária deste órgão, para o próximo dia 24 de fevereiro de 2018, pelas 17:00h, na sede da Fundação, na Avenida das Tulipas nº10, 2º andar esquerdo, em Miraflores, Algés, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

  1. Leitura e aprovação da acta nº41 do Conselho de Curadores de 3 de novembro de 2017;
  2. Informações;
  3. Emissão de parecer (não vinculativo) sobre o Plano de Atividades e Orçamento para o ano de 2018, apresentados pelo Conselho de Administração;
  4. Organização interna e distribuição de tarefas em função do Plano de Atividades: site, organização administrativa, parcerias, propostas de atividades.
  5. Outros assuntos.

A reunião do Conselho de Curadores iniciar-se-á à hora prevista se se verificar a existência de quorum ou, com qualquer número de associados presentes, meia hora depois da hora marcada.
Recorda-se que, na impossibilidade de estar presente, o curador poderá fazer-se representar através de procuração passada para o efeito (o que pode ser efectuado via mail).


A Presidente da Mesa do Conselho de Curadores

Maria João Pulido Valente Pena



 

     

 

Reunião do Conselho Consultivo
Plano de actividades e Orçamento para 2018
Conselho Consultivo da Fundação reuniu para aprovar Plano de Atividades e Orçamento para 2018

No passado dia 27 de janeiro, reuniu, na sede da Ordem dos Médicos, em Lisboa, o Conselho Consultivo da Fundação Pulido Valente. A reunião juntou alguns dos membros daquele Conselho, os elementos do Conselho de Administração, Rui Pulido Valente, Francisco Pulido Valente e João Monjardino (também Presidente do Conselho Consultivo), e a presidente do Conselho de Curadores, Maria João Pena. Estiveram presentes os conselheiros Isabel do Carmo, João Lavinha, João Manuel Caraça, Jorge Calado, Maria Pires de Miranda, Manuela Lucas, Miguel Carneiro de Moura e Rui Vitorino. Tratou-se da reunião anual ordinária para, de acordo com os estatutos, emitir parecer sobre o Plano de Atividades e Orçamento para o ano corrente e, também, acertar o tema para 2018 do Prémio Ciência, assim como a data para a sessão de entrega do Prémio de 2017 (propostas pela FCT as datas de 1 ou 6 de março) e proceder à escolha do conferencista para a sessão pública do Prémio Ensino (datas propostas 17 ou 24 de maio de 2018 na Aula Magna da Faculdade de Medicina de Lisboa).
 

Relativamente ao tema para a próxima edição do Prémio Ciência (2018) foi decidido voltar à Engenharia Biomédica. Depois de uma troca de impressões sobre o historial dos prémios, nestes últimos 14 anos, apontou-se para a escolha, em 2019, da temática da Saúde Pública, por mais de uma vez sugerida em anos anteriores. Nesse sentido, o conselheiro João Lavinha, irá fazer alguma pesquisa sobre a dinâmica da investigação na área da saúde pública e trabalhos publicados.
Para conferencista na sessão pública do Prémio Ensino foi proposto, pelo conselheiro Jorge Calado, o nome do investigador João Paulo André, da Universidade do Minho, que irá publicar brevemente um livro sobre a Química e a Ópera (Gradiva). A sugestão vai no sentido de uma conferência que faça apelo a uma das marcas da personalidade de Francisco Pulido Valente que passava pela ligação estreita entre cultura, ciência e cidadania. O conselheiro Jorge Calado ficou de estabelecer o primeiro contacto para averiguar da disponibilidade daquele investigador para as datas apontadas.
Várias intervenções dos conselheiros presentes foram no sentido de uma maior definição das linhas estratégicas da Fundação, nomeadamente, na aposta na área da saúde pública e nas temáticas ligadas ao Serviço Nacional de Saúde, assim como no domínio da cidadania e da formação integral do cidadão.
O Conselho de Administração deu informações sobre questões associadas ao Plano de Atividades e situação da Fundação: estão marcadas ou já se realizaram reuniões com os representantes das instituições parceiras, nomeadamente, FML, FCT, Bayer, CHLN, +Saúde, AEFML; é intenção proceder a novos contactos para encontrar novos apoios; o site está em reestruturação; existe alguma falta de informação sobre a situação no Hospital Pulido Valente depois de o ano passado se ter mantido contacto com o Presidente do Conselho de Administração do CHLN, Dr Carlos Martins. Os conselheiros recomendaram a marcação de uma reunião com o Ministro da Saúde a propósito do HPV. Foi solicitada a anuência dos conselheiros para a inclusão de nota biográfica e fotografia de cada membro no site da Fundação. Relativamente à continuidade do apoio financeiro da Bayer, está pedida uma reunião com a representante da empresa Drª Isabel Fonseca Santos para manutenção desse apoio e o conselheiro Jorge Calado disponibilizou-se para fazer alguns contactos no mesmo sentido. A terminar foram dadas informações sobre o processo de revalidação do estatuto de utilidade pública junto da Presidência do Conselho de Ministros que se espera estar concluído a muito breve trecho.
 
A reunião foi seguida de um almoço de convívio que permitiu, num ambiente descontraído, falar não apenas da Fundação, da sua história e dos muitos que para ela contribuíram, mas também da situação do país, da ciência e da atualidade mais alargada.
Um agradecimento a todos
Rui Pulido Valente
 


 

     

 

Petição
Encerramento dos serviços no Hospital Pulido Valente

Caros Amigos,

Desde há alguns meses que algumas valências dos Hospital Pulido Valente têm sido transferidas para o Hospital Santa Maria com a desculpa de optimização de recursos. Na verdade, o que se está a fazer é uma tentativa de racionalização de tratamentos de forma a poupar dinheiro, isto porque fisicamente é impossível que o Hospital de Santa Maria absorva todos os profissionais de saúde do Hospital Pulido Valente, bem como os doentes que aqui são tratados.
Alega a administração que o Hospital Pulido Valente consome demasiados recursos financeiros, mas esconde que os consome, porque com menos recursos humanos consegue produzir mais do que o Hospital Santa Maria. Para comprovar este facto basta abrir a tabela de bordo do Centro Hospitalar para verificar que por exemplo o Serviço de Cirurgia Geral com um terço de recursos produz aproximadamente o mesmo que os dois serviços que até há pouco tempo coexistiam no Hospital de Santa Maria.
Este é apenas um exemplo, porque se analisarmos cuidadosamente para outras valências a conclusão é a mesma.
O País atravessa uma grave crise e temos de optimizar e racionalizar recursos, o que não podemos é assistir ao desmantelamento de serviços por razões políticas e economicistas sem qualquer critério.


Diga não ao Encerramento dos serviços no Hospital Pulido Valente 

Por favo, assinem a petição em:

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=P2013N71443

 

Muito obrigado!